quarta-feira, 28 de agosto de 2013


Pouco Tempo... Muitas Marcas!

Vivíamos dias de expectativa, enquanto fazíamos os preparativos para uma comemoração.

Estávamos a véspera da festa e de recebermos um pregador que a maioria de nós não conhecíamos.

Era inicio da programação e eu estava ali sentada em silencio, o ambiente me parecia um pouco calmo demais para o inicio de uma grande festa. Foi então que eu vi surgir do nada e ele o preletor estava ali a minha frente se apresentando. Nesses momentos a minha timidez sempre aparece, mas me recompus e tentei corresponder a sua amável apresentação.  Logo surgiu a pergunta... e a resposta era aquela mesma palavra que tinha causado transtorno com meu amigo. Me  muni de coragem e respondi positivamente... mas tive a sensação de haver causado problemas outra vez. Aquela palavrinha que me acompanha a muito e não quer se calar está sempre diante de mim, talvez por ser uma situação mal resolvida e que precisa de muito esforço, coragem e desempenho para que ela ocupe o lugar que sempre deveria ter tido em minha vida.

Foi a chave para no restante dos três dias surgirem conversas que semearam em minha vida marcas de esperança força e coragem que agora permeiam os dias silenciosos cheios de calor e poeira com que agora convivo.

Quantas coisas boas, amor alegria comunhão... o companheiro de viagem e amigo que se uniu a conversa para injetar ainda mais animo e força no meu coração, penso na verdade que eles nem tinha a real noção do que semeavam em minha vida.

Três dias apenas mas muitas marcas e sementes pequenas ,insignificantes mas que prenunciam o crescimento de arvores frondosas carregadinhas de flores feito Ipê em tempo de florada.

Os preparativos do evento haviam demandado muito esforço, e em um desse mutirões vimos nosso amigo desandar do andaime causando um enorme susto, mas Deus havia cuidado dele de uma forma especial , ainda se recuperava de uma doença que o havia debilitado e depois da cena de horror do tombo vimos a cena linda dele se levantando e andando.. poucos minutos depois já podíamos ver seu sorriso.

Acho que para nos ensinar que as vezes a vida nos proporciona tombos, aqueles que parecem que quebraram nossa coluna ao meio, ou aqueles que parecem que resultaram e traumatismo craniano e fizeram a gente esquecer da vida. Mas assim como fez nosso amigo rodeado de mãos ajudadoras aos poucos nos levantamos continuamos andando devagarzinho vida afora e em poucas horas estamos diante daquele que talvez nunca vimos mas se põe a nossa frente recuperando nossos sonhos e nossas esperança feitos mágicos, melhor dizendo anjos que Deus põem em nossa vida.

Era a ultima noite. Parecia que o calor causticante minava minhas forças. Era noite de estreia e eu ia participar pela primeira vez em minha vida de uma peça teatral. Mas por incrível que pareça eu sentia uma paz enorme em meu coração, talvez anunciando a noite linda maravilhosa, deslumbrante que estava ali a nossa frente.

Os dois visitantes ilustres chegaram como sempre espalhando seus sorrisos e aquela palavras mágicas que semeavam plantações exuberantes na nossa existência. Eu estava ali conversando com meu amigo ... ele então começou a dizer: Vocês vão embora amanhã mas já estou sentindo muita saudades!

Eu acho que ele já sentia a sensação de perder aquela alegria, aquele sentimento bom que os dois ilustres visitantes foram todos os dias e momentos semeando em nosso coração. Inesperadamente ele começou a me dirigir a palavra falando da dor que um dia minha partida causaria. Eram palavras que descreviam exatamente a dor que eu já havia sentido tantas vezes quando a vida levou pra longe de mim pessoas que eram pedaços da minha existência mas que precisaram ir. Fiquei pensando como poderia haver tanta exatidão nas palavras sobre  aquilo que nem ainda parecia ser possibilidade de existir. Talvez porque cada um de nós já experimentou um pouco dessa dor da perda de tesouros chamados pessoas que foram por algum motivo subtraídas das nossas vidas.

Na segunda feira procurei entender o que ele realmente dizia e então surgiram aquela palavras douradas  que podem nos fazer refletir por toda vida. Existem pessoas que ficam 30 anos na nossa vida mas não fazem falta, não deixam marcas , outras em 30 dias deixam marcas e fazem uma falta terrível, foi a explicação. E continuou... são aquela pequenas coisas, pequenas ajudas, palavras simples mas que nos ajudam e vão marcando com coisas verdadeiras a nossa vida. E pensar  que quem me dirigia essas palavras havia feito tantas coisas por mim!

As lindas palavras me acordaram para a dura realidade. Quais a marcas que vou deixando. Já fiz um dia essa oração quando ouvi das marcas do pão de mel da minha mãe depois de mais de vinte anos que ela partiu... mas ali estava aquela mesma reflexão.

Lembei-me então dos tesouros que espalharam suas lindas marca, mas também me lembrei daqueles que foram feitos terremoto que passaram em minha vida. E se não fossem esse feitos anjos que apareceram eu estaria morta entre meio aos escombros , mas eles chegaram de mansinho feito aquele preletor desconhecido e aos poucos aos pouquinhos vão reconstruindo minha existência me fazendo feito fênix levantando das cinzas.

Assim como aquela florezinhas lindas que  levam o meu nome, Erica elas são minúsculas sozinhas quase nem as podemos ver mas quando elas enchem os galhos com suas florezinhas e folhinhas minúsculas formam um lindo espetáculo que fazem parar quem as vê. Dizem os jardineiros que em  uma época do ano elas secam então precisam ser podadas cuidadas e regadas para eu brotem outra vez. Já as cultivei e tive um mudinha linda em frente a minha casa que depois que cresceu arrancou muitos elogios... deve Ser esse o motivo do meu nome.

Poucos dias muitas marcas. A maioria desse  jardineiros da minha vida tive o privilegio de conhecer porque aos meus doze anos conheci Jesus aquele especialistas em marcas e foi por causa do meu amor por ele que a maioria dos anjos semeadores de alegria apareceram em minha vida.

Amigos como aquela de mais de vinte anos que agora se propõe a me ajudar a tornar em livro esses meus escritos, que brotam em meu coração feito esse que agora escrevo.

Tem aquela que quase adoeceu quando me viu caída no abismo mas ainda hoje mesmo por satélite nos falamos quase  todos os dias. O que semeou palavras que me fizeram sobreviver e que talvez o avião tenha levado pra sempre, agora ele está em silencio nem sei o motivo mas as marcas... essas como disse ainda ontem meu amigo nunca vão desaparecer... a dor da saudades essa meu amigo descreveu tão bem que fez doer a alma. Tem aquele eu se tornaram meu milagre que chamo carinhosamente de milagre Marli, a menina dos pinceis, aquele que nunca me viram mas quando aqui cheguei sozinha estavam lá em uma linda igrejinha verde e me estenderam os braços em uma acolhida que hoje me faz desfrutar de tudo que escrevo. E aquele como  a família do que hoje é meu líder espiritual pais daquela menininha linda que feito anjinho espalha alegria... aquele que fez com que meu celular tocasse em um dia de muita tristeza silencio e ele e sua linda esposa transformaram um dia de pesadelo em pura alegria. Não posso esquecer daqueles que vieram apenas através dos satélite e que escrevem sobre a minha vida palavras lindas como essa:

 

 

Para cultivar os mais belos jardins, é preciso revolver a terra com amor, plantar flores com as mãos jardineiras da alma, a tempo apropriado, despojar-se dos pesos inúteis, toda alma livre é sonhadora, adora voar sem se prender a qualquer caminho por atrativo que seja este, o inusitado é seu destino..., em liberdade voa feliz, voa leve como plumas sopradas ao vento..., sem rumo certo viaja nas asas da sorte, aonde sopra o vento, é seu caminho..., seu limite desconhece limites, porque o céu felizmente, como o amor é infinito!

São José dos Pinhais – PR, 26 de janeiro de 2013.


Agora fico preocupada quantos mais deixaram suas marcas são muitos e jamais poderia descrever todos acho que devo pedir perdão pela minha intransigência, sem falar nos meus irmãos que estão sendo mais que anjos trabalhando duro na minha reconstrução.

E assim  em apenas alguns minutos de encontro eu, meu amigo e dois ilustres e bondosos visitantes ... esse texto quem sabe poderá produzir ainda mais marcas nos distantes e desconhecidos visitantes que visitam e leem os meus textos qeu os satélites espalham pelos horizontes.

Fique a vontade para rir e chorar... mas nunca deixe de espalhar suas marcas, ainda que seja pequeninas feito as flores de Erica que pequenas mas juntas alegram a vida em varias partes do mundo.

Esses foram apenas minutos de conversa que foram espalhando na minha vida muitos momentos bons assim como sempre para rir e chorar!

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários serão bem vindos!